Jack Ryan – Um “Techno-herói” para o Séc. XXI

 

    Não é tão charmoso como James Bond ou Dirk Pitt, nem desenrascado como McGyver, também não é azarado como John McLane, nem tão mortífero como Jack Bauer ou Jason Bourne. Ele é um pouco de todos eles e chama-se John Patrick Ryan, mais conhecido como Jack Ryan.
 
Os rostos de Jack Ryan no cinema (1990-2014)
Jack Ryan é uma personagem fictícia criada por Tom Clancy (1947-2013), antigo agente de seguros, apaixonado por história, particularmente história naval. Após obter  o seu grau universitário em Literatura Inglesa, em 1973, inscreveu-se no Centro de Treinos de Oficiais do Exército, mas foi excluído devido a um problema de visão que o obrigava a usar uns óculos semi-escuros.  Foi então trabalhar para a agência de seguros que fora fundada pelo avô da sua esposa.
No início de 1980 comprou a agência, continuando a trabalhar lá. Nas horas vagas aproveitava para escrever. Escreveu inúmeros livros de acção, sempre bem recheados de detalhes  militares (diz-se que tinha grande facilidade em aceder a informação secreta e classificada como tal) e tecnológicos, além de alguns livros-guia em que analisa profundamente alguma vida militar, como os Marines, os blindados, os submarinos, os Porta-Aviões, entre outros. Escreveu várias séries  como “NetForce”  e “Op-Center”, além de diversos livros em que entra a sua criação mais famosa de todas: o analista de dados da CIA, Jack Ryan.
  
   
A sua primeira aparição acontece no livro “The Hunt for Red October – Caça ao Outubro Vermelho”, primeiro livro escrito por Tom Clancy e publicado em 1984, mas, como se verá mais á frente, não será a primeira aventura de Ryan.
Nele, o então Analista de Dados da CIA, Jack Ryan,  descobre que Marko Ramius, o mais famoso comandante de submarino Soviético, pretende desertar, com os seus oficiais, para os Estados Unidos, a bordo do “Outubro Vermelho”, o submarino mais avançado do mundo. Ryan tem que convencer os seus superiores  que as intenções de Ramius são verdadeiras.
    O enorme sucesso literário que foi “Caça ao Outubro Vermelho”, permitiu que Tom Clancy se tornasse numa referência literária da américa dos anos 80, sendo-lhe frequentemente atribuida a paternidade de um novo género literário intitulado “TechnoThriller”. O livro foi a primeira obra de ficção publicada pelo Instituto Naval Americano e também a sua obra mais popular.
Ao longo do livro, extremamente bem escrito,  com pormenores técnicos interessantes e momentos cheios de tensão e suspense, percebemos que Jack Ryan teve um passado aventuroso antes de ser recrutado pela CIA e pelo Almirante James Greer.  Passado esse que iremos conhecer, assim como o seu presente e futuro, nas obras subsequentes de  Clancy.
   Os antecedentes de Ryan são apresentados em “Patriot Games” e  continuam em “Red Rabbit”:  Nascido em 1950, estudou na escola preparatória de Loyola,  em Towson do estado de Maryland. Inscreveu-se na universidade de Boston onde foi Bacharel em Economia e Artes (com uma nota fraca em História).  Enquanto aguardava a incorporação nos Marines, passou no Exame de Certificação de Contabilidade Pública.
Depois de fazer o curso básico de Oficial na Base Militar de Quantico, graduando-se como Segundo-Tenente, foi comandar um pelotão, mas foi-o por pouco tempo, já que, durante um exercicio militar das forças da NATO, o helicóptero onde seguia com os seus homens, despenhou-se ao largo da ilha de Creta, ferindo-o gravemente nas costas, apesar dos inúmeros esforços cirúrgicos dos médicos militares, ficou com uma lesão permanente que o levou a abandoner a carreira militar e, graças ao seu grau em Contabilidade, propôs-se a exame para Bolsista,  passou  e tornou-se especulador na firma Merrill Lynch, sediada em Baltimore.
Após quatro anos a trabalhar e fazer uma fortuna avaliada em cerca de 8.000.000 de dólares, Ryan abandonou a firma e inscreveu-se na Universidade de Georgetown para se doutorar em História. Depois de fazer o seu estágio, aceitou o lugar de professor de história na Academia Naval Americana. A partir deste momento na sua vida, começam as aventuras de Jack Ryan. Cronologicamente, decorrem como se segue e é assim que deverão ser lidas:
    Em “Patriot Games” (1987), Durante uma viagem  de férias e também de alguma pesquisa para as suas aulas, Ryan testemunha uma tentativa de assassinato ao Princípe de Gales levada a cabo por membros do Exército de Libertação do Ulster. Intervindo rapidamente, ele salva a vida ao menbro da familia Real, ao matar um dos terroristas e fazendo  prisioneiro um outro. Por ter salvo a vida ao princípe, Ryan é feito Cavaleiro pela Rainha Isabel II e quando regressa aos Estados Unidos, é convidado a integrar os quadros da CIA como Analista de Dados na procura de terroristas internacionais. Ele inicialmente recusa, mas depois de um ataque fracassado, levado a cabo pelo ULA (Ulster Liberation Army), á sua família, na qual a sua mulher Caroline e a sua filha, Sally, ficam seriamente feridas e em perigo de vida. Resolvido esse incidente  que termina com a prisão de membros do grupo, Ryan aceita o cargo e é colocado em Londres como membro de ligação entre a CIA e os Serviços Secretos Britânicos.
   
Em “Red Rabbit” (2002),  Ryan, ainda colocado em londres, tem como missão ajudar um Oficial de Comunicações e sua familia a desertar para o ocidente . O Oficial de Comunicações descobriu que o director do KGB ordenou o assassinato do Papa João Paulo II. Ryan e um pequeno grupo de agentes secretos conseguem salvar “O Coelho”  e a sua família, mas falham o “timing” para impedir a tentativa de assassinar o Papa, apesar deste ficar só ferido,  o seu assassino é capturado. A deserção do “Coelho” para o ocidente acaba por ser extremamente útil aos americanos e ingleses, pelas  informações que trazia consigo e, á luz dessas informações, Ryan acabará por sugerir uma solução não-militar para apressar o colapso da União Soviética.
   Em “The Hunt for Red October – A Caça ao Outubro Vermelho” (1984), Ryan, que ainda está em Londres, já é analista de dados, viaja até langley, na virgínia para entregar umas fotografias ao Almirante Greer, de um novo protótipo de submarino soviético que lhe chegaram ás mãos e, após falar com alguns amigos, desconfia que as intenções do comandante do submarino é desertar para o ocidente com o novo protótipo, o “Outubro Vermelho”, e vai tentar ajudar o militar a desertar, mas, para isso, terá que convencer os seus superiores de que são essas as suas intenções. Por ter sido o primeiro livro da série, algumas personagens, além de Jack Ryan, aparecerão em muitas obras seguintes, nesta série e noutras, ligadas entre si. 
   
   “The Cardinal of the Kremlin – O Cardeal do Kremlin” (1988), Jack Ryan é colocado em Langley, na Virgínia e torna-se assistente do almirante Greer com o título oficial de Assistente Especial do Director-Adjunto de Espionagem. Percebe-se que o almirante o está a preparar para altos cargos dentro da CIA. Ryan é então enviado a Moscovo integrado num grupo estratégico que vai tentar negociar a redução das armas nucleares. Fica então a saber que um agente da CIA infiltrado na união soviética e cujo nome de código é “Cardeal” é o coronel Mikhail Semyonovich Filitov,  o adjunto do Ministro da Defesa Soviético e herói nacional, que, para se vingar da morte da mulher e dois filhos ao serviço do exército vermelho,  à muitos anos passa segredos políticos e militares para o ocidente. No decorrer das conversações, Ryan conhece Sergey Golovko, um agente em ascensão dentro da hierarquia do KGB e entre os dois estabelece-se uma relação de amizade (que se fortalecerá em livros subsequentes) e mútuo respeito. Será este agente quem irá ajudar Ryan a planear a deserção de Filitov para os Estados Unidos quando a sua identidade é descoberta pelo KGB e a sua vida posta em risco.
O livro é uma sequela de “Caça ao Outubro Vermelho” já que explica qual foi o destino do submarino russo: este foi despido de toda a tecnologia revolucionária que trazia consigo e foi afundado numa fossa ao largo de Puerto Rico para evitar ser encontrado e recuperado. Jack Ryan e Marko Ramius são as únicas testemunhas que presenciaram o facto.
   Já “Clear and Present Danger” (1989) , apresenta-nos Jack Ryan promovido a Director-Adjunto interino da CIA porque o Almirante Greer foi internado com um cancro numa fase quase terminal. Apesar da posição que tem dentro da organização, Ryan desconhece que a CIA e o governo americano financiam uma guerra contra os cartéis da droga na Colômbia. Após a descoberta, pela guarda costeira americana, de um iate de recreio cujo dono e sua família, foram mortos por assassinos envolvidos em esquema de lavagem de dinheiro de droga, o presidente dos estados unidos, em ano eleitoral e a concorrer para a re-eleição, manda tomar medidas drásticas contra os cartéis da droga. Ryan, ao tomar conhecimento destes acontecimentos e ao deparar-se com uma barreira de silêncio com os seus superiores, junta-se ao FBI e viaja até á Colômbia para tentar saber o que se passa.
   Em “The Sum of All Fears” (1991),  Jack Ryan atinge a posição  mais alta dentro da CIA: é confirmado como Director –Adjunto do Director. A sua nova carreira corre perigo quando Rober J.Fowler, ex-governador do Ohio e antigo candidato a Presidente dos Estados Unidos, se torna Presidente e Elizabeth Elliott, antiga conselheira dos Negócios Estrangeiros, é promovida a Conselheira para a Segurança Nacional. Ambos tiveram confrontos com Jack no passado e estão apostados em dificultar-lhe a vida e isso fica provado quando não lhe é dado crédito nenhum pelo seu plano inovador de paz no Médio Oriente.
Quando uma bomba nuclear é detonada em Denver durante a “Super Bowl” atirando o mundo para uma quase guerra nuclear,  é Ryan que, arriscando tudo aquilo que tem, tenta resolver a crise provando que tudo aquilo não passa de um esquema montado para o desacreditar.  Ao recusar confirmar uma ordem presidencial  para lançar mísseis nucleares contra Qom, uma cidade do médio oriente, Jack retira-se da CIA, não sem antes destruir o Presidente Fowler.
   
Com “Debt of Honor” (1994),  a série atinge o seu climax, do qual nunca mais se libertará e obriga Tom Clancy a aperfeiçoar cada vez  a sua personagem e a dar mais espaço de manobra a outras personagens que até então eram secundárias.
Passaram-se dois anos desde que Jack Ryan se retirou da CIA e que Robert J.Fowler se demitiu da presidência e o seu então Vice-Presidente, Roger Durling, cumpre o mandato para que foi legitimamente eleito. Ryan regressa ao serviço do governo, agora como Conselheiro para a Segurança Nacional.
A Administração e Jack Ryan vão ter que se confrontar com uma segunda guerra contra o Japão, cujo governo é controlado por uma série de magnatas conhecidos como “Zaibatsu” assim como com um ataque ás infraestruturas económicas dos Estados Unidos. Depois duma limpeza ás forças japonesas no pacífico sul, o vice-presidente dos estados unidos,  Ed Kealty, é obrigado a demitar-se das suas funções devido a um escândalo sexual em que está envolvido. O presidente convida Ryan para o lugar, este aceita na condição de que apenas o fará enquanto durar o mandato presidencial de Durling. É uma maneira de Ryan encerrar a sua vida pública ao serviço dos Estados Unidos e ir finalmente dedicar-se á família e às suas aulas de história na Academia Naval Americana.
Mas, inesperadamente, minutos após Jack Ryan ser confirmado no cargo, um piloto japonês, deliberadamente, atira um 747 contra o Capitólio, durante a sessão do Congresso, matando quase toda a gente lá dentro, incluindo o presidente, quase todo o Congresso, membros do Supremo Tribunal, e quase todo o governo federal. Sobrevive um Jack Ryan que, atónito, se vê elevado á presidência dos Estados Unidos da América.
    “Executive Orders” (1996) é a sequela directa de “Debt of Honor” já que, a seguir á dramática conclusão dos acontecimentos, um relutante, mas determinado Jack Ryan, ajuramentado Presidente dos Estados Unidos,  tenta reconstruir o governo americano. Com praticamente todos os elementos executivos, legislativos e judiciais mortos, Ryan é o único poder que representa os Estados Unidos e vai ter defrontar-se com diversas dificuldade e crises enquanto tenta reconstruir o governo e o senado; além de ter de enfrentar os truques políticos com que o ex-vice-presidente Ed Kealty desafia a legitimidade de Ryan no cargo, ainda tem de se confrontar com uma ameaça militar levada a cabo pela china contra  Taiwan e  uma devastadora praga iniciada no Médio Oriente, cujas consequências atingirão os Estados Unidos e o Presidente Ryan tem  de declarar a Lei Marcial em todo o país.
   Em “The Bear and the Dragon” (2000),  Jack Ryan completou, como Presidente, o mandato que pertencera a Roger Durling, faz campanha para – e ganha – a eleição seguinte. Mantém a maior parte dos membros que haviam pertencido ao seu gabinete de emergência,  nomeia Robby Jackson, o primeiro afro-americano, como Vice-Presidente, enquanto tenta arrumar a casa.
Em Moscovo, Sergey Golovko, presidente do Gabinete dos Serviços Estrangeiros (antigo KGB) e amigo do presidente Ryan, é vítima dum atentado do qual, graças ao seu instinto de sobrevivência e da rápida actuação do seu motorista. Ele escapa miraculosamente. 
Algumas semanas depois, em Pequim, uma equipa de reportagem da CNN filma o assassinato do representante do Papa e de um dos seus Bispos, perpretado pelas autoridades chinesas. A comunidade internacional reprova o crime e são impostas sanções económicas á china. Com a economia de restos, devido ás recentes expansões militares contra Taiwan, a china planeia invadir e anexar a Sibéria para tomar posse de lençóis de petróleo e minas de ouro recém-descobertas. Com a escalada de violência  subir cada vez mais de tom, o presidente Ryan convence a NATO a aceitar a Rússia como membro e promete ajuda á Rússia na luta contra o imperialismo chinês, cujos líderes, em desespero, activam os misseis ICBM para os lançar sobre Moscovo, Washington D.C. e toda a comunidade ocidental. Será uma operação especial conjunta entre a Nato e a Rússia que irá pôr termo ás pretensões chinesas e, com a ajuda de estudantes chineses, derrubará o governo, pondo termo ao comunismo no país que irá iniciar a sua transição para a democracia.
   
Tom Clancy
Paralelamente á série principal, Tom Clancy escreveu outros livros, ligados por pequenos acontecimentos e/ou personagens que, apesar de alguma secundarização na série principal onde contribuíam de alguma forma para o desenvolvimento da acção, viriam a ter um desempenho próprio noutros livros e noutras séries.  Assim nasceu a série de John Clark, um operacional da CIA a quem Ryan recorre diversas vezes para resolver algumas situações pontuais, composta pelos livros “Without Remorse” (1993) e “Rainbow Six” (1998); e a série Jack Ryan, Jr, em que o filho do antigo analista de dados da CIA e actual presidente dos estados unidos vai fazer a sua aprendizagem no “Campus”, um campo militar privado secreto  situado num meio termo entre a CIA e a Agência Nacional de Segurança cujos fundos são geridos pela “Hendley & Associates” sob a forma de acções de mercado.
È constituída pelos livros “The Teeth of the Tiger” (2003); “Dead or Alive” (2010); “Locked On” (2011); “Threat Vector” (2012); “Command Authority” (2013); “Support and Defend” (Mark Greaney, 2014); “Full Force and Effect” (Mark Greaney, 2014).
    Tom Clancy faleceu em outubro de 2013  e o último livro que escreveu, em parceria com Mark Greaney, foi “Command Authority”, postumamente, publicado em dezembro desse ano.

                                                         

Comentários

Mensagens populares