Asia - De Asia a Omega...30 anos de carreira!

Nota: Este texto refere-se apenas à formação original do grupo e todas as imagens e vídeos utilizados foram retirados da Internet


   No inicio da década de 80 do século passado, no panorama musical adivinhava-se uma mudança. O Punk dissolvera-se na New Wave e esta quase que já desaparecera, os Neo-Romãnticos perfilavam-se no horizonte, uma nova vaga de rock progressivo (agora com o nome de rock sinfónico) começava a espreitar numa tentativa de recuperar o terreno que perdera durante a segunda metade da década de 70.
   Em 1981 John Kalodner, homem forte da editora A&M, e David Geffen, director da recém-nascida Geffen Records, fazem planos para formar um supergrupo de rock que abale o panorama musical. Juntam então John Wetton e Steve Howe a quem pedem que escrevam temas para um álbum. Em breve juntão-se-lhes Carl Palmer e Geoff Downes e era preciso um nome atractivo. Do nada surgiu a designação "Asia" que reuniu o consenso dos quatro músicos, todos eles oriundos da mesma área musical: John Wetton vinha dos King Crimson, mas antes tocara nos Uriah Heep, nos Roxy-Music e nos Wishbone Ash; Steve Howe vinha dos Yes; Geoff Downes tocara nos Buggles e nos Yes; finalmente Carl Palmer tocara com Crazy World of Arthur Brown, Atomic Rooster e em Emerson Lake and Palmer.
   O primeiro álbum do grupo surge em 1982, chamava-se apenas "Asia". Uma capa simples desenhada por Roger Dean, um dos melhores ilustradores de sempre e responsável pelas capas dos álbuns de Yes, Uriah Heep, Rick Wakeman, entre outros, uma série de temas, hoje clássicos, como "Heat of the Moment", "Sole Survivor", "Only Time will Tell" ou "Wildest Dreams".O álbum  obteve considerável sucesso, esteve nove semanas consecutivas em número1 e vendeu mais de cinco milhões de cópias e encorajarou o grupo a continuar e a trabalhar num novo disco. 
   "Alpha" assim se chamou o álbum seguinte e foi ainda mais ambicioso que o primeiro. Uma capa graficamente bela e extremamente atractiva ( talvez a melhor capa da discografia do grupo, Roger Dean claro!) e uma selecção mais cuidadosa de temas onde "Don't Cry" e "The Smile has left your eyes" são os temas mais fortes, mas também "Open your eyes e "The Heat goes on" são obrigatórios em qualquer concerto do grupo. O álbum conseguiu um modesto sexto lugar no top britânico e foi recebido com alguma indiferença pelos críticos. Tal resultado nas vendas, rapidamente criou alguma tensão dentro do grupo  e começa o entra-e-sai de elementos do grupo que nunca foi devidamente explicado.
   Várias formações e vários álbuns depois, chegamos a 2006, os Asia estão a comemorar 25 anos de carreira. Downes e os outros três membros originais anunciam o seu regresso e uma tournée mundial para assinalar o seu quarto de século de existência. O sucesso é total,  nasce o CD/DVD "Asia: Fantasia live in Tokyo" que documenta os sete concertos que deram no Japão onde obtiveram as maiores audiências da tournée 2006-2007. A meio de 2007 o grupo decide entrar em estúdio e gravar novas canções, o que não acontecia desde 1983.
   Em Abril de 2008 é editado o novo álbum de nome "Phoenix" que não podia ser mais propositado, qual Fénix renascida (a capa exibe uma Fénix em frente ao logotipo do grupo), este renascer das cinzas, indicia um novo rumo  do grupo que esteve patente na tournée que começou nos Estados Unidos e estendeu-se até ao extremo oriente,  apresentando-se pela primeira vez em Portugal em Maio de 2008,  onde deram inicio à "leg" Europeia da "Phoenix World Tour", num concerto que ficou na memória de quem lá esteve (regressariam a Portugal em Junho de 2011). O passado foi revisitado nos temas antigos dos dois primeiros álbuns, assim como o presente em temas como "An Extraordinary Life", "Never Again", "Heroine" ou "I Will remember You". Para a história fica "Parallel Worlds/Vortex/Déyà" que com os seus mais de oito minutos de duração é o maior tema que os os Asia alguma vez escreveram em toda a sua existência onde todo o talento musical do grupo é perfeitamente ilustrado num tema dividido em três partes: uma vocal e duas instrumentais que completam aquele que será sem dúvida um dos melhores temas do grupo.
   O sucesso obtido na tounée  permitiu que, em 2010, o grupo fosse novamente para estúdio gravar o sucessor de "Phoenix", que se chamou "Omega" onde continua a via do sucesso,  com temas como "End   of the World", "There was a  Time" "Holy War", "I Believe" ou "Light the Way" que têm sido os temas mais tocados nos concertos.
   Qual será o futuro do grupo? o título do álbum, pode querer dizer uma de duas coisas: como é sabido Omega é a última letra do alfabeto grego e isto poderá querer dizer que é o último álbum do grupo; por outro lado, poderá ser apenas uma feliz coincidência e que o grupo ainda está para durar...só o tempo o dirá... a demonstrar pelo que se viu nos concertos nacionais, ainda teremos muito Asia nos próximos tempos!

                                                               


                                                            








Comentários

  1. Esta é sem dúvida uma das minhas bandas favoritas que tem ainda a especialidade de ter algumas capas desenhadas pelo grande Roger Dean que também desenhou capas dos Yes, dos Uriah Heep, entre outros. Grande abraço.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares